História

  • 1940 - A Fundação

    Na década de 40, Criciúma já mostrava uma grande paixão pelo futebol. Todas as segundas, o Café São Paulo era testemunha de acaloradas discussões sobre as partidas de domingo. Ouro Preto, Atlético Operário, Barão do Rio Branco (de Içara) e Próspera eram os times da região na época que animavam as tardes de domingo com grandes clássicos.

    Começou a participar dessas discussões Mário Tuffi, recém chegado a cidade para trabalhar na Carbonífera Próspera. Certo dia, Tuffi chamou Hercílio Guimarães de lado e perguntou porque os rapazes do centro não tinham um time. A idéia começou a intrigar os comerciários até que um dia, reunidos na frente do monumento dos mineiros, resolveram criar o Comerciário. A primeira providência foi comprar uma bola. Cada um colaborou com um conto e...

  • 1948 - Os primeiros títulos

    Em 21/03/48, foi realizado o Grande Torneio de Futebol de Região Mineira, organizado pelo Comerciário. Este torneio seria e base para o surgimento da Liga Atlética da Região Mineira (LARM) que, nos anos seguintes, promoveria acirrados campeonatos entre as equipes da região.

    No ano seguinte, o Comerciário conquistaria seu primeiro título ao vencer o Atlético Operário por 6 x 1 tornando-se campeão da LARM. O time jogou com Mário, Colombi, Vante, Muricy, Zoile e Ary; Carlitos, Eraldo, Detefon, Aníbal e Bigode.

    Em 1950 e 51 o Comerciário voltaria a ser campeão tornando-se tri, mantendo a mesma equipe-base. Os anos seguintes seriam ruins para o clube que não conseguiria mais títulos.

    Só em 1955 viria a recuperar um pouco do prestígio ao inaugurar o Estádio Heriberto Hülse. Apesar de ter perdido para o Imbituba Esporte Clube por 1 x O...

  • 1964 - A volta

    Afora o titulo de clube "Mais Querido" da cidade, o Comerciário ainda não tinha ganho nada naqueles anos 60. Ainda assim, e bastante questionável esse título, uma vez que o próprio Lédio Búrigo, um dos dirigentes do clube admite que alguns votos "foram comprados". Isto ocorreu lá pelos idos de 1964.

    Dois anos depois, sob a batuta de Algemiro Manique Barreto, o Comerciário lançou um plano de venda de títulos patrimoniais e conseguiu construir o complexo esportivo com piscina e ginásio, entre outros. Mas, título de campeão que é bom mesmo, só viria em 1968, quando já parecia que a década de 60 nada teria de dourada para os comercialinos.

    Comandados pelo técnico Ítalo Arpino o elenco formado por Batista, Ney, Conti, Lili, Marcos, Oli, Bita, Deda, Sado, Jair, Chiquinho, Alemão, Bossinha, Ivan, Valério e...

  • 1977 - Campeão de 68

    No ano de 1977, o Comerciário resolveu voltar as atividades profissionais. Sob a tutela de Osvaldo Patrício de Souza o clube queria recriar o passado de glória que o futebol havia vivido na cidade. Do sonho a realidade, porém, distância é muito grande.

    Mesmo contando com um bom apoio financeiro o Comerciário não conseguia emplacar naquele primeiro ano de retorno. Em virtude de uma briga com a federação em função de confusões que aconteceram no primeiro jogo do campeonato estadual daquele ano, em que o Comerciário perdeu para o Avaí por 2 x 1, o clube acabou perdendo o mando de campo em dois jogos decisivos que definiram a classificação para a fase final. Assim, o Comerciário acabou perdendo a vaga e foi obrigado a disputar uma deficitária repescagem.

    Comandados pelo técnico Ítalo Arpino o elenco formado por Batista, Ney,...

  • 1978 - O Primeiro Grande Time

    As mudanças começaram a dar resultados e já em 78 o Criciúma foi vice-campeão. E esse parecia ser o destino da equipe que, por cinco anos seguidos ficou atrás do Joinville, tornando-se o único penta vice-campeão do estado. O que ninguém entende até hoje, é como o Criciúma não foi campeão naquele 1982.

    Foi sem dúvida um dos melhores times que a cidade já teve. O meio campo era fortíssimo: Edgar (o motorzinho), Paulinho Criciúma e Luiz Freire (quem não se lembra). No ataque Anchieta e Vargas infernizavam a vida dos zagueiros e, mais tarde, viria Paulinho Cascavel; talvez o melhor centro-avante que o Criciúma já tenha tido.

    Este time deu a primeira glória ao Criciúma ao vencer o Flamengo por 4 x 2, logo após o mesmo ter sido campeão do mundo. E olha que eles vieram completos com: Raul, Leandro,...

  • 1984 - Nasce o Tigre

    Mesmo depois da troca de nome, o Criciúma ainda não conseguia se firmar como unanimidade na cidade, pelo simples fato de ainda conservar as cores do Comerciário. Começou, então, um movimento para a troca das cores do clube. Muita polêmica foi gerada. Alguns opinavam por uma mistura das cores de todas as equipes que a cidade já teve. Outros queriam que fossem oficializadas as cores da bandeira da cidade. Muito blá-blá-blá depois, decidiu-se pelo amarelo, preto e branco. O amarelo demonstrando a riqueza da região, o preto o carvão e o branco por ser uma cor presente em todos os demais clubes que existiram. O dia escolhido para a estreia das novas cores foi 13/05/84, data em que o Comerciário completaria 37 anos. O jogo valia pelo campeonato estadual e o adversário era o Joinville, que veio disposto a colocar água no chopp da festa e saiu ganhando por 2 x 0. Tudo...